Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Agenda de Fevereiro para os Pasconeiros

Sugestões para a criação de conteúdos

O Ano de 2024 começou com novidades incríveis referentes à Comunicação da Igreja no Mundo e no Brasil. No mês de janeiro, foi publicada no dia 24 de janeiro a 58ª Mensagem do Dia Mundial das Comunicações Sociais e foram abertas as inscrições para o Encontro Nacional da Pascom, em Aparecida. O mês de fevereiro costuma ser repleto de datas que marcam a caminhada cristã e dos comunicadores. Com isto, vamos apresentar alguns assuntos que poderão ser explorados em sua Comunidade:

 

1 – INTENÇÃO DA REDE MUNDIAL DE ORAÇÃO DO PAPA FRANCISCO

Neste mês, em que celebramos o Dia Mundial do Doente, somos convidados a rezar Pelos Doentes Terminais e seus cuidadores. Nem tudo se pode curar, mas tudo se pode tratar:

Rezemos para que os doentes na fase terminal das suas vidas, e as suas famílias, recebam sempre os cuidados e o acompanhamento necessários, tanto do ponto de vista médico como humano.

 

 

2 – QUARESMA: UM CONVITE A NÓS MESMOS!

Papa Francisco na celebração da Quarta-Feira de Cinzas

Para uns, reflexão e silêncio. Para outros, oração e penitência. Como você vivencia o Tempo Quaresmal? Na tradição católica este tempo contempla costumes importantes, o propósito é que os cristão se preparem para ressuscitar com Cristo em sua Páscoa.

É bastante comum encontrarmos pessoas que, nesta época quaresmal, iniciam jejuns diários, mas há outras práticas que a Igreja pede que os fieis realizem, como, por exemplo: oração e esmola. Para além de atitudes minimamente cristãs, no âmbito social, também é importante que as ações e práticas espirituais sejam coerentes, afinal, não faz sentido um jejum intenso, um silêncio grande no coração e oração diária se em nosso cotidiano xingamos, desrespeitamos, humilhamos e colaboramos para a proliferação do ódio, seja fora da Igreja, dentro dela ou no ambiente virtual.

 

Elementos 

A quaresma tem início na Quarta-feira de Cinzas e finaliza na Quinta-feira Santa, quando a Igreja Católica relembra a última Ceia do Senhor. A cor usada neste Tempo Litúrgico é a roxa, que significa recolhimento e introspecção, transmite a espera (a ressurreição), a reflexão. Se pensarmos bem, é possível observar que essa mesma cor também é utilizada em celebrações de finados e Advento. 

Além da importância da cor nos deparamos, ainda, com a questão do numérica. Quando falamos de “quaresma” estamos fazendo referência ao número 40. Não é uma escolha aleatória, pois possui história, é um número simbólico e representativo para a Igreja. Passagens importantes da bíblia mencionam, como, por exemplo, os 40 dias e 40 noites do dilúvio, os 40 anos que o povo de Israel passou no deserto durante o êxodo e, é claro, os 40 dias em que Jesus passou no deserto. 

 

Encontro pessoal com Jesus

Por se tratar de um tempo de reflexão e oração, Papa Francisco nos lembra que “A Quaresma orienta-se para a Páscoa: o «retiro» não é um fim em si mesmo, mas prepara-nos para viver – com fé, esperança e amor – a paixão e a cruz, a fim de chegarmos à ressurreição.”

Fique atento ao anúncio da Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma deste ano de 2024, com certeza, ela será inspiradora e ajudará a discernir os seus passos durante este período de reflexão! 

 

3 – CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2024

 

O ano de 2024 marca os 60 anos de mobilização da Campanha da Fraternidade em todo o Brasil, inspirada na Encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti, a Campanha da Fraternidade (CF) de 2024 tem como tema: “Fraternidade e Amizade Social” e o lema: “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt. 23, 8). Este tema e lema foram escolhidos pelo Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em novembro de 2022. De acordo com o bispo auxiliar da arquidiocese de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Ricardo Hoepers, o tema e o lema da Campanha da Fraternidade 2024 refletem a preocupação do episcopado brasileiro em aprofundar a fraternidade como contraponto ao processo de divisão, ódio, guerras e indiferença que tem marcado a sociedade brasileira e o mundo.

Ao longo do mês de janeiro, algumas postagens a respeito da Fratelli Tutti foram feitas nas redes sociais da Pascom Brasil, a sugestão é que você conheça melhor o documento, bem como o Texto Base da CF, para ajudar na divulgação da Campanha em sua Comunidade. Outro aspecto importante que deve ser compromisso primário de todos pasconeiros e pasconeiras é no combate das Fake News que todos os anos têm como intuito manchar a imagem da Igreja do Brasil, além de promover a falta de respeito com aqueles que tanto dedicam à missão durante o Tempo Quaresmal! Ei, pasconeiro e pasconeira, esta missão é sua!

 

 

4 – 01/02 – DIA DO PUBLICITÁRIO

Publicitário é aquele profissional de comunicação que está conectado à comunicação 360º, isto é, que utiliza e conhece todas as ferramentas online e offline de divulgação, gerando e criando ideias criativas que possam transmitir a mensagem de Cristo à toda a Igreja.

É um dia importante para reconhecer e abençoar o trabalho desse profissional em sua paróquia!

Caso sua equipe de Pascom tenha publicitários atuando, faça um momento de oração na Santa Missa. Apresente-os para a paróquia e agradeçam pela sua disponibilidade e vocação, pois o publicitário tem o perfil Pascom: Faz o trabalho de divulgação e sempre fica nos bastidores vendo e aplaudindo toda a Obra de Cristo!

 

5 – 02/02 – APRESENTAÇÃO DO SENHOR NO TEMPLO, NOSSA SENHORA DA LUZ E DA CANDELÁRIA

A Igreja celebra a festa da Apresentação do Senhor após quarenta dias do Natal. No Oriente, a celebração desta festa remonta ao século IV e, desde o ano 450, é chamada “Festa do Encontro“, porque Jesus “encontra” os sacerdotes do Templo, mas também Simeão e Ana, que representam o povo de Deus. Por volta de meados do século V, esta festa era celebrada também em Roma. Com o passar do tempo, foi acrescentada a esta festa a “bênção das velas”, recordando que Jesus é a “Luz dos Gentios”. No rito da festa da celebração da Apresentação do Senhor somos convidados a acendermos nossas velas e irmos até a porta da Igreja e entrarmos com nossas velas em procissão significando que a luz de Deus está entre nós. Por isso a festa da Apresentação do Senhor é a festa das luzes, pois desde o tempo do advento nos preparamos para receber em nosso meio a luz de Deus, que nos vem por meio de Jesus Cristo. A festa da apresentação do Senhor fecha as celebrações natalinas, por mais que não estamos mais no tempo litúrgico do Natal. 

No dia 2, também é celebrada a Festa de Nossa Senhora da Luz, conhecida como Nossa Senhora das Candeias, da Candelária ou da Purificação. É cultuada majoritariamente em Portugal e no Brasil. Há de se lembrar que a devoção é correlacionada à Festa da Apresentação do Senhor e faz menção, portanto, a esta importante Festividade que ressalta a grandeza da vinda de Jesus, como Luz para clarear os gentios! 

 

6 – 11/02 – DIA MUNDIAL DO ENFERMO

Papa Francisco abraça um menino doente durante sua audiência geral na Praça de São Pedro, no Vaticano Oct. 17. (CNS photo/Paul Haring) See POPE-AUDIENCE-KILL Oct. 17, 2018.

A data do Dia Mundial do Enfermo foi criada em 1992 pelo Papa João Paulo II para fazer referência ao atendimento humanizado nas unidades de saúde. É o momento de ressaltar as prioridades necessárias para ter um atendimento mais digno para todos os enfermos e principalmente de rezar e pedir pelos profissionais da saúde que atendem os doentes.

Para esse momento, organize com o padre uma missa especial e divulgue nas redes sociais, para que os paroquianos possam estar presentes para rezar pelos enfermos e trazer os doentes até a celebração.

Faça um material especial para esse dia, com banners impressos e folhetos com oração pelos enfermos, além de objetos específicos que possam ser abençoados e entregues a todos, como terços e medalhas milagrosas.

 

7 – 13/02 – DIA MUNDIAL DO RÁDIO | TEMPO DE HUMANIZAR A COMUNICAÇÃO

Fonte: Rádio Aparecida

Aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2012 como Dia Internacional, o dia 13 de fevereiro se tornou o Dia Mundial do Rádio. Ele é um meio poderoso para celebrar a humanidade em toda a sua diversidade e constitui uma plataforma para o discurso democrático. 

Segundo a UNESCO, no âmbito global, o rádio continua sendo o meio de comunicação mais consumido. Essa capacidade única de alcançar o público mais amplo significa que o rádio é capaz de moldar a experiência de diversidade de uma sociedade, assim como de ser uma arena para que todas as vozes se manifestem, sejam representadas e ouvidas. 

A Igreja Católica tem o rádio como uma de suas ferramentas mais fortes no processo de evangelização. Basta ver a Rádio Vaticano, fundada em 12 de fevereiro de 1931, por Guglielmo Marconi, encarregado pelo papa Pio XI. No Brasil, em recente censo lançado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Signis Brasil Rádio, são mais de 140 emissoras de inspiração católica já inscritas, sendo um trabalho ainda em andamento.

O rádio continua sendo um dos meios de comunicação mais confiáveis e mais utilizados no mundo, segundo diferentes relatórios internacionais. Muita gente diz: “deu no rádio, então é verdade”, sobre o fato da confiabilidade e veracidade das informações. E aqui mora um dos segredos do sucesso dessa mídia e um desafio: a comunicação humanizada, que permita às comunidades poderem “se enxergar” na programação e nas informações levadas ao ar. 

O Dia Mundial do Rádio tem vários objetivos: conscientizar o público em geral e a mídia sobre o valor do serviço público de áudio; incentivar os tomadores de decisão a promover o rádio livre, independente e pluralista e fortalecer a rede e a cooperação internacional entre as emissoras.

 

Como a Pascom pode celebrar o Dia Mundial do Rádio?

Uma ação de muito impacto é a visita às estações de rádio da cidade ou, ainda, o envio mesmo que digital, de um card ou mensagem que recorde a importância de quem faz o rádio acontecer. Se desejamos uma comunicação humanizada, nada melhor do que começar pelo ambiente eclesial nesta relação com os meios de comunicação, inclusive aqueles que não são de inspiração católica.

E para os veículos de inspiração católica, vale um desafio para a Pascom: que tal propor um encontro, uma confraternização e mesmo um momento de formação, se colocando à serviço, enquanto Pastoral da Comunicação? Essa aproximação ajuda o processo de evangelização, que não acontece somente veiculando notícias da Igreja, mas na valorização dos princípios do Evangelho e, sobretudo, no cuidado com a vida.

 

8 – 16/02 – DIA DO REPÓRTER / JORNALISMO DE PAZ

Foto: Freepik

Reportar uma notícia, um fato ou um acontecimento não é tarefa fácil. Apurar aqui, correr ali, conversar com as fontes acolá, tudo isso e muito mais faz parte da rotina de um repórter. Em um veículo de comunicação, seja ele impresso, na TV, no rádio ou internet, o trabalho do repórter é essencial, mas, para isso, ele precisa ter o conhecimento amplo sobre como apurar os fatos, saber conversar, saber fazer as perguntas certas no momento certo, saber inovar, saber falar em público e ter muitas outras técnicas acerca da comunicação. O repórter precisa se inteirar muito bem sobre o assunto que irá falar, seja para discussões políticas, sociais ou religiosas, pois nem todos os comunicadores dominam o contexto em que está inserido. Na Igreja, por exemplo, é importante que os profissionais das emissoras de inspiração católica compreendam minimamente sobre o ambiente eclesial, não precisa saber tudo, mas o suficiente para expor de forma inteligente os assuntos desejados.

 

Quando surgiu?

Foi com a iniciativa do alemão Johannes Gutenberg, entusiasta que revolucionou a imprensa com uma nova técnica de impressão usando máquinas – antes a impressão era manual, que a ideia do profissional “repórter” surgiu. A invenção de Gutenberg colaborou positivamente para a criação dos jornais modernos (à época) e, consequentemente, para o surgimento dos primeiros repórteres. 

No Brasil isso só foi possível por volta do século XIX, quando os grandes jornais impressos começaram a surgir. Já no início do século XX os jornais passaram a dedicar um espaço às grandes reportagens, muitas delas com importantes investigações, informações, pesquisas e uma narrativa diferente do que o leitor estava acostumado (antes era só conteúdo oficial e opinativo). 

Ao longo da história os repórteres viveram – principalmente na época da Ditadura Militar (1964-1985) – muita censura e perseguição política. Ainda nos dias atuais temos episódios que retratam esse tipo de comportamento, não é um fato isolado. O pior cenário dos últimos tempos foi em 2020, época em que o Brasil esteve em 107º lugar no Ranking Mundial de Liberdade de Imprensa de 180 países. Segundo o relatório de 2020, da organização Repórteres sem Fronteiras (RFS), 50 jornalistas foram mortos no ano em decorrência da profissão, cinco a mais do que em 2023, ano em que o patamar alcançou 45 profissionais.

 

Repórter na Pascom

O trabalho profissional como repórter ainda é um assunto em pauta. A exigência do diploma em curso superior de jornalismo para a atuação sempre está em discussão. Contudo, a maioria das empresas e veículos de comunicação exige que o profissional possua formação completa na área. Porém, o que temos como certo é que muitas equipes de Pascom possuem “repórteres”, que mesmo sem formação superior em jornalismo exercem um papel muito dinâmico em suas comunidades paroquiais. Obviamente não exercem a função como um profissional, mas simbolicamente possuem um valor inestimável ao buscar a notícia, cobrir os fatos, os eventos, encontros, formações, além de registrar tudo por meio das fotos. 

Junto dessa atividade de reportar, está uma grande responsabilidade que chega a cada um de nós, jornalistas. É o compromisso com a verdade, como nos pede e nos lembra o Papa Francisco em sua carta para o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, no ano de 2018. Inspirado pelo tema “A verdade vos tornará livres (Jo 8, 32) – Fake News e jornalismo de paz”, Papa Francisco destaca que “se mantiver fiel ao projeto de Deus, a comunicação torna-se lugar para exprimir a própria responsabilidade na busca da verdade e na construção do bem.” Com isso compreendemos que praticar o jornalismo de paz é fazer da profissão de comunicadores uma missão para a vida. Promover um jornalismo de paz não se trata de fechar os olhos para os problemas complexos, mas se comprometer com a busca pelas reais causas dos conflitos, das guerras, dos problemas sociais, econômicos e estruturais. Não se trata de querer mudar o mundo, mas ter a consciência de que pode formar opiniões e contribuir pontes para o bem comum, em prol do diálogo e pela vida digna para todas as pessoas.

 

9 – 22/02 – FESTA DE CÁTEDRA DE SÃO PEDRO | TU ÉS PEDRO

Cátedra de São Pedro
Cátedra de São Pedro

Não sabemos bem qual a origem da festa da Cátedra de São Pedro. Mas, com certeza, há uma inscrição, datada do ano 370 – portanto, há mais de 1650 anos – atribuída ao Papa São Dâmaso, que diz respeito a uma cadeira ou trono, na Basílica Vaticana, considerada a “Cátedra” do Apóstolo Pedro.

Hoje, desta cadeira, restam apenas algumas relíquias de madeira, conservadas e honradas, em um lugar onde o grande artista Bernini levantou o monumento grandioso, em honra do primeiro Papa: a Basílica de São Pedro. Cátedra é o símbolo da autoridade e do magistério do Bispo. Catedral é onde está a cátedra do Bispo, ou seja, de onde ele prega.

Ao longo da história, depois de Pedro, passaram outros 265 pontífices pela cátedra. Há quase 11 anos, o argentino Jorge Mario Bergoglio foi eleito e escolheu o nome de Francisco, sendo o 266º papa da Igreja Católica.

A festa litúrgica da Cátedra de São Pedro é ocasião para a Pascom realizar campanhas de comunicação nos diversos meios e mídias, fortalecendo a comunhão e unidade da Igreja na pessoa do Papa Francisco. Também é possível organizar momentos de oração pelo sucessor de Pedro e pela Igreja, neste processo sinodal. Francisco sempre diz: “Não esqueçam de rezar por mim: a favor”.

 

10 – Calendário de efemérides, confira no link!

 

Por Coordenadores de Produção da Pascom Brasil