Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Agenda de Janeiro com ideias para o início do ano

Sugestões para um Ano Novo cheio de novidades

O final de 2023 está chegando, com ele, o mês de janeiro e o ano de 2024 já estão anunciando novos tempos, novas esperanças e novos sonhos, revigorados com o nascimento do Senhor. Sabemos que no mês de janeiro costumamos dar uma pausa na caminhada, para descansar, visitar familiares, planejar o que será feito ao longo do ano e o que a Pascom pode fazer para que o engajamento nas Redes Sociais seja mantido? Vamos apresentar alguns momentos a seguir, com sugestões de assuntos que podem contribuir com a missão Evangelizadora neste momento de pausa, confira:

 

1- Intenção da Rede Mundial de Oração do Papa Francisco

Foto: Vatican Media

No mês de janeiro, somos chamados a rezar, com o Papa Francisco, pelo dom da Diversidade na Igreja:

“Rezemos para que o Espírito ajude a reconhecer o dom dos diferentes carismas nas comunidades cristãs e a descobrir a riqueza das diferentes tradições rituais no seio da Igreja Católica.”

 

2 – Epifania do Senhor

Você sabe o que quer dizer “Epifania do Senhor”?

Epifania ou Manifestação de Deus: eis o dia em que Deus revelou o seu filho para o mundo e se manifestou por meio de um menino! Esse é o significado da solenidade celebrada no início do mês de janeiro, recordando a cada um e a cada uma que a Palavra de Deus se fez carne e habitou entre nós e, por meio do nascimento de um menino, a humanidade é chamada a viver no amor. 

Esta manifestação de Jesus Cristo como Messias acontece, como primeiro ato, na presença dos reis magos. Eles foram guiados por uma estrela que os levou a Belém e, ao ver o menino com Maria, sua Mãe, se ajoelharam diante Dele.

A palavra “mago” significa sábio, para a sociedade daquela época eles eram considerados os estudiosos de astronomia no mundo e, por isso, ao verem o surgimento de uma estrela diferente, começaram a caminhar para encontrar o que ela indicava.

Eram três magos rumo àquela estrela que brilhava em uma noite escura. Mequior, cujo nome significa “meu Rei é luz”, ofereceu ouro como presente ao Menino Deus. O incenso chegou pelas mãos de Gaspar, que quer dizer “aquele que vai confirmar”. Por fim, mas não menos importante, foi a vez de Baltazar, que ofereceu mirra, confirmando o que seu nome significa: “Deus manifesta o Rei”. Esse grande encontro dos magos com o Menino Jesus ficou conhecido como Dia de Reis, culturalmente destacado em 6 de janeiro, por meio de manifestações e costumes do povo.

 

Dia de Reis

O Dia de Reis tomou força por meio da cultura popular no Brasil a partir da colonização dos portugueses, eles trouxeram a lembrança desta festividade conciliada à liturgia da Igreja Católica, encerrando o ciclo natalino. Em determinadas regiões do país a tradição do Dia de Reis se tornou patrimônio cultural imaterial, abrindo espaço para as conhecidas “Folia de Reis”.

Para quem não conhece, a Folia de Reis é  uma celebração de origem espanhola e portuguesa, ela relembra a visita dos reis magos ao menino Jesus quando acaba de nascer. A Folia de Reis é formada por embaixador, contramestre, palhaços, alferes, foliões e os três reis magos. Geralmente o grupo desfila pelas ruas e visita as casas daqueles que desejam recebê-los. Durante as visitas e desfiles há músicas típicas, danças e bênçãos, sempre caminha com eles a bandeira do grupo, que é levada durante toda a festa.

Os foliões usam roupas coloridas, que chamam a atenção de quem passa, com cantigas muito envolventes e que se assemelham a orações:

Vinte e cinco de dezembro, quando o galo deu o sinal, ai que nasceu o Menino Deus numa noite de Natal. Em Belém cantou o galo, ai meu Deus, o que seria, ai que nasceu o Menino Deus, filho da Virgem Maria. Os três reis, quando souberam, viajaram sem parar, ai cada um trouxe um presente, pro Menino Deus saudar. Que estrela é aquela, que nos estás alumiando, é o Menino Jesus, que nos estás acompanhando. Deus, oh salve a casa santa, onde é sua morada, onde mora o Cálix Bento e a hóstia consagrada.”

E viva o Menino Deus!

 

3 – Batismo do Senhor 

No mês de janeiro é celebrada a Festa do Batismo do Senhor, momento que marca o início da vida pública de Jesus e, consequentemente, a primeira parte do Tempo Comum, antes do início da Quaresma. No entanto, apesar do Sacramento do Batismo ser também o da Iniciação da Vida Cristã, em alguns anos, por questões de calendário, esta data é transferida para a segunda-feira seguinte à Solenidade da Epifania do Senhor. Com isto, a celebração desta festa acaba sendo um pouco negligenciada, até mesmo, porque costumeiramente a primeira quinzena de janeiro ainda é marcada pelo “espírito de fim de ano”. 

No Instrumentus Laboris, em seu 20º parágrafo, uma reflexão foi feita a partir do processo de escuta a respeito do Sacramento do Batismo, considerando a sua importância: 

[…] uma Igreja sinodal se funda no reconhecimento da dignidade comum derivada do Batismo, que torna todos os que o recebem filhos e filhas de Deus, membros da família de Deus e, portanto, irmãos e irmãs em Cristo, habitados pelo único Espírito e enviados para cumprir uma missão comum. Na linguagem de Paulo, «todos nós – judeus e gregos, escravos e homens livres – fomos batizados num só Espírito, para sermos um só corpo e a todos nos foi dado a beber um só Espírito» (1Cor 12,13). Assim, o Batismo cria uma verdadeira corresponsabilidade entre todos os membros da Igreja, que se manifesta na participação de todos, com os carismas de cada um, na missão da Igreja e na edificação da comunidade eclesial. 

O que a Pastoral da Comunicação pode fazer para marcar esta Festa, que relembra o nosso próprio Batismo? Uma sugestão, é trazer para as Redes Sociais, reflexões sobre a importância do Sacramento na caminhada cristã e convidar a Comunidade para responderem ao chamado Missionário que se inicia. Afinal, os cristãos batizados, tornam-se também Sacerdotes, Reis e Profetas ao receberem o Espírito Santo e assim, são corresponsáveis pela Missão Evangelizadora da Igreja. 

 

4 – Janeiro Branco (Importância para a Conscientização sobre a Saúde Mental)

Nos últimos anos, tem ganhado cada vez mais espaço na Mídia Tradicional e nos ambientes de debate, a discussão sobre a importância do cuidado da Saúde Mental. Cada vez mais, se tem associado questões emocionais com a cultura contemporânea, formas de trabalho e de relacionamentos que tem ajudado a sociedade a voltar-se para estes problemas com uma postura mais amadurecida, superando antigos preconceitos. 

No Brasil há algumas décadas, distúrbios emocionais eram associados às doenças neurológicas ou ainda a questões espirituais. Por isto, em muitos casos, infelizmente, ainda há uma resistência de grupos da sociedade ao se falar sobre problemas como Depressão, Burnout, Ansiedade, Fobias e até mesmo as dependências químicas por serem consideradas como tabus. No entanto, vemos em nossas Comunidades, principalmente após a Pandemia da Covid-19, o crescimento acelerado do suicídio ou de tentativas, atingindo até mesmo o clero. 

Com isso, é mais do que urgente que nós, comunicadores, ajude que a conscientização da importância do cuidado com a Saúde Mental seja valorizada em nossas Comunidades. Afinal, sabemos a influência que a Igreja tem, principalmente em regiões fragilizadas pelos inúmeros problemas sociais, com isto, a Pastoral da Comunicação, em parceria com a Pastoral da Saúde, pode organizar uma roda de conversa com profissionais da área, que poderão desmistificar alguns conceitos. 

 

5 – Dia Nacional do Combate à Intolerância Religiosa (21/01)

Foto: Arquidiocese de Curitiba

No Brasil a Lei Federal nº 11.635, de 27 de dezembro de 2007, criou o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, celebrado no dia 21 de janeiro. Já se passaram vários anos desde a instituição da Lei, no entanto, vemos ainda vários exemplos de Intolerância Religiosa em nossa sociedade. A data faz alusão à morte da Ialorixá baiana Gildásia dos Santos e Santos, conhecida como Mãe Gilda, fundadora do terreiro de candomblé Ilê Asé Abassá. Ela teve sua casa e seu terreiro invadidos por pessoas praticantes de outra religião e foi duramente acusada de charlatã, além disso, houve uma publicação jornalística intitulada “Macumbeiros e Charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”, Mãe Gilda e o marido foram perseguidos, sofreram várias agressões físicas e verbais, e depredações dentro do espaço religioso. Após o ocorrido, Mãe Gilda, teve um infarto fulminante e morreu.

Qual seria, portanto, a participação da PASCOM no engajamento com a celebração desta data? Um dos caminhos seria a produção de cards informativos, utilizando mensagens dos Papas sobre a importância do Diálogo Inter-Religioso e desmistificando alguns conceitos erroneamente incorporados em nossa cultura. Além disso, outra pista de reflexão, no Brasil, por exemplo, a Intolerância às religiões de matrizes africanas estão intimamente relacionadas ao racismo estrutural que é exemplificado de várias formas em nosso cotidiano. Pasconeiro e pasconeira, que tal ajudar a construção da cultura da Paz e do Respeito? 

 

6 – Celebração do Dia de São Francisco de Sales, patrono dos escritores e dos jornalistas

Com a chegada do Ano Novo, os corações dos comunicadores e pasconeiros de todo o Brasil e do mundo se enchem de expectativas para o grande dia da divulgação da carta do 58º Dia Mundial das Comunicações Sociais pelo Papa Francisco, marcado para o dia 24 de janeiro. Essa data é dedicada à memória de São Francisco de Sales, padroeiro dos comunicadores, escritores e jornalistas (confira no item 7 mais informações sobre a carta do 58º DMCS).

Além da relevância pastoral e litúrgica, celebrar e comemorar o dia de São Francisco de Sales é uma oportunidade única para valorizar o trabalho de inúmeros comunicadores paroquiais. Portanto, sugira para a sua equipe da Pascom um planejamento para celebrar essa data de maneira especial.

Seguem algumas sugestões:

• Organize uma missa solene, convide toda a comunidade e faça uma missa de envio do ano;

• Na missa, apresente todo o trabalho que foi realizado como uma retrospectiva e prestação de contas;

• Divulgue o planejamento de comunicação 2024 e envolva todas as pastorais nessa ação;

• Apresente o tema e lema do 58º DMCS para a paróquia e já convide a todos para a celebração  que será no dia 12 de maio;

• Nas redes sociais paroquiais faça a divulgação sobre o dia de São Francisco de Sales e a sua importância para a Pascom.

 

7 –   Carta do Dia Mundial das Comunicações Sociais 

Divulgação Pascom Brasil e CNBB

Carta do Papa Francisco aos comunicadores: há 10 anos sendo inspiração para uma comunicação humana

Uma carta, seja ela escrita à mão ou por meios tecnológicos, será sempre uma maneira íntima de enviar uma mensagem para alguém, para algum grupo, para uma sociedade. É nesse contexto de se aconchegar nas palavras que Papa Francisco tem apresentado, nos últimos 10 anos, sua proximidade e preocupação com a comunicação na Igreja e no mundo. 

Sua maneira de falar sobre este fenômeno que é a comunicação ultrapassa épocas, pois a cada ano ele conseguiu – e ainda consegue – identificar as principais urgências no que se refere a uma comunicação humana em nosso meio. Ainda que muitas novidades viessem ao longo dos anos, Papa Francisco soube dialogar diante de inúmeros desafios, tocando feridas, indo ao encontro do outro, tecendo redes de relacionamentos, sendo parte dos testemunhos, escutando e falando com o próprio coração.

A comunicação é uma ciência que perpassa nossas necessidades humanas e sociais, é com essa certeza que Francisco nos convidou durante esses anos a fazermos uma reflexão sobre sua mensagem. A cada ano ele nos direciona a um assunto importante para a caminhada pastoral, sobretudo para a Pascom, tendo um olhar crítico diante dos temas já trabalhados e que aqui relembramos:

 

Em 2024 o tema do 58º Dia Mundial das Comunicações Sociais será “Inteligência artificial e sabedoria do coração: por uma comunicação plenamente humana”, que será celebrado em 12 de maio deste ano. A justificativa da escolha, segundo o Boletim de Imprensa da Santa Sé, é que a evolução dos sistemas de inteligência artificial torna cada vez mais natural a comunicação através e com as máquinas, de tal modo que se tornou cada vez mais difícil distinguir o cálculo do pensamento, a linguagem produzida por uma máquina daquela gerada pelos seres humanos.

É importante orientar a inteligência artificial e os algoritmos, de modo que haja em todos nós uma consciência responsável no uso e no desenvolvimento dessas diferentes formas de comunicação, que acompanham as das redes sociais e da internet. A comunicação deve ser orientada para uma vida mais plena da pessoa humana.

 

8 – A importância da conversão de São Paulo para o cristianismo e o acolhimento aos convertidos

São Paulo, antes de tornar-se seguidor de Jesus, perseguia fervorosamente os primeiros cristãos, castigando todos que se declaravam seguidores de Cristo.

Sua conversão ocorreu durante uma viagem a Damasco. Subitamente, uma luz intensa do céu o envolveu, e caindo ao chão, ouviu uma voz que indagava: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’ – (At9,1-31). Era a voz de Jesus, pedindo para Paulo interromper a perseguição e converter-se para tornar-se seguidor, um discípulo do Reino de Deus.

O chamado de Jesus estende-se até mesmo aos perseguidores, pois Ele conhece o coração e as qualidades de cada um. O chamado de Cristo é uma segunda chance para os convertidos. Ele não está interessado no passado, mas busca a conversão do coração e uma nova vida sob as bênçãos e graças celestiais.

Assim como também na parábola do Filho Pródigo (Lc15,11-32), que o Pai acolhe o filho arrependido com uma festa, sem questionar por onde ele andou ou o que fez, acolher requer esse perdão sincero de Pai que perdoa e comemora a volta do filho.

Nas nossas paróquias, não precisamos conhecer os detalhes da vida das pessoas, mas devemos manter as portas de nossas igrejas abertas, acolhendo como Jesus acolheu São Paulo e o chamou.

Nesse contexto, a Pastoral da Comunicação (Pascom) pode desempenhar um papel crucial na organização e divulgação de ritos de confissão, missas e celebrações, além de divulgar eventos das pastorais e movimentos, que são oportunidades para acolher muitos ‘Paulos’.

 

9 – Calendário de efemérides, confira no link!

 

Por Coordenadores de Produção da Pascom Brasil