Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Agenda de Outubro para reforçar a nossa Missão

Confira os novos motivos e oportunidades de datas para a Pascom criar conteúdos que engajem, motivem e inspirem todas as paróquias.

 

A primavera começou e, depois de termos celebrado o mês dedicado a Palavra de Deus, chegou outubro. Com ele, novos motivos e oportunidades de datas para a Pascom criar conteúdos que engajem, motivem e inspirem todas as paróquias. Além das datas fixas, como os dias especiais dos santos e santas, profissões e momentos cívicos, esse mês apresentamos alguns momentos destacados, com dicas especiais como sugestões.

São momentos que mexem com a nossa missão de comunicadores paroquiais e que podem ter mais atenção e ações focadas. Confira:

 

1- Intenção de Oração do Papa Francisco

No mês de outubro, o Papa Francisco nos pede para rezamos pelo processo sinodal e pela XVI Assembleia do Sínodo dos Bispos:

Rezemos pela Igreja, para que adote a escuta e o diálogo como estilo de vida a todos os níveis, deixando-se guiar pelo Espírito Santo em direção às periferias do mundo.

 

2 – Comunicar o Sínodo dos Bispos 2021-2024

É…pasconeiro! O Papa Francisco convoca toda a Igreja a rezar pelo Sínodo. E o comunicador é um agente muito importante no contexto da sinodalidade. O processo sinodal iniciou em 2021, quando o Papa Francisco convocou uma grande escuta em todas as dioceses do mundo.

A terminologia “Sínodo” vem do grego que, em síntese, trata de “caminhar juntos”. E foi isso que o Pontífice perguntou às Igrejas locais: como estamos caminhando juntos e como o Espírito pode nos ajudar a aprimorar esse percurso da Igreja no Terceiro Milênio.

A abertura aconteceu, em Roma, no dia 10 de outubro e nas demais dioceses do mundo, uma semana depois. A partir disso, iniciou-se um grande trabalho de escuta que reuniu milhares respostas de leigos, padres, religiosos, bispos, pessoas em situação de rua, aqueles que “veem a Igreja de fora” e, inclusive, da imprensa.

Cada Igreja local preparou um relatório de 10 páginas, enviado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que sintetizou o material de todas as dioceses do Brasil e enviou ao Celam, que é a conferência latino-americana, que, por sua vez, remeteu a síntese das igrejas da região ao Vaticano que, posteriormente, divulgou o Instrumentum Laboris para esta primeira assembleia, que acontece de 04 a 29 de outubro, em Roma. Um novo encontro vai ser realizado em 2024.

O Sínodo que tem como tema: “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. Este que, depois do Concílio Vaticano II (1962-1965), é o evento mais expressivo da Igreja Católica, contará com a presença de bispos, padres, leigos e leigas do Brasil e de todo o mundo, com a presidência do Papa Francisco, a partir do dia 04.

Antes do início da XVI Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, para a noite do sábado, 30 de setembro, está marcada a Vigília Ecumênica Together, com a presença do Papa Francisco e líderes de outras igrejas cristãs, rezando pelo Sínodo, na Praça de São Pedro.

A Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos preparou subsídios com orações e a prece universal para serem rezadas nos dias anteriores à Assembleia que vai acontecer em Roma.

Acesse:

POR_INSTRUMENTUM-LABORIS

PROT. N230382 – (ANEXO) BENÇÃO E PRECES

 

A Pascom e a Assembleia do Sínodo dos Bispos

Partindo do processo sinodal realizados pelas Igrejas locais, é possível recordar a história, por meio de vídeos, “#tbt” e fotos da abertura da fase local e da fase diocesana. Já outras ações que envolvem organização e produção também podem ser aproveitadas, como:

– Propor momentos de oração pelo Sínodo com os documentos relacionados acima;

– Organizar momentos de formação para estudo e reflexão a partir do Instrumentum Laboris do Sínodo, com destaque para a prática do “Diálogo no Espírito”;

– Confeccionar um banner/faixa ou o mural da comunidade com a identidade visual do Sínodo e o convite a cada fiel para escrever uma oração e fixar junto desse espaço;

– Contar histórias de ações/projetos que surgiram nas dioceses a partir da fase local do Sínodo (Censos catequéticos, escutas comunitárias, CPP…);

– Compartilhar das fontes oficiais de notícia da Igreja (Vatican News, Celam, CNBB) as informações, transmissões e materiais do Sínodo, para que “o povo de Deus da sua Igreja local se sinta como se estivesse em Roma”.

 

 3 – Como trabalhar o Mês Missionário?

Outubro é tradicionalmente celebrado pela Igreja como Mês Missionário. E ele é chamado assim por causa do Dia Mundial das Missões, celebrado no quarto domingo: em 2023 será nos dias 21 e 22. Em 1926, o papa Pio XI, instituiu essa data com o objetivo de incentivar a oração pelas missões e de promover uma coleta em favor da evangelização dos povos.

O mês começa com a memória litúrgica de Santa Teresinha do Menino Jesus, monja carmelita de apenas 24 anos, declarada pela Igreja como padroeira das missões juntamente com São Francisco Xavier. Assim, ao longo de todo o mês de outubro, todos os católicos são chamados a rezar e a colaborar concretamente com sua oferta para a realização da missão da Igreja no mundo.

“Ide! Da Igreja local aos confins do mundo”, é o tema da Campanha Missionária 2023, que também recorda e traz como lema o 3º Ano Vocacional da Igreja no Brasil: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33). A identidade visual da Campanha Missionária de 2023, em sintonia com o 5º Congresso Missionário Nacional, que vai acontecer em novembro, lembra o coração que pulsa na realidade local e os pés que nos impulsionam à animação missionária em todo o mundo. Composto, ao fundo, por uma rede, o cartaz mostra as 279 igrejas locais do Brasil, aprofundando a compreensão da responsabilidade missionária.

Promovida pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM), a Campanha Missionária 2023, organizou diversos materiais de comunicação impressos que são enviados às paróquias e comunidades: cartazes, livretos, envelopes para a coleta missionária, que acontece nos dias 21 e 22 de outubro, e o “santinho”, com a oração missionária. Também foram preparados vídeos para cada dia da novena, em parceria com a TV Aparecida, e demais peças online.

Merece destaque a prestação de contas e transparência dos valores recebidos e investidos pela coleta. Segundo as POM, em 2022, a contribuição do Brasil para o Fundo Mundial de Solidariedade, mantido pelas Obras Missionárias para a evangelização em países e localidades pobres foi de R$ 7,6 milhões.

 

E a Pascom no Mês Missionário?

Para viver bem o Mês Missionário, não deixe de se integrar com pastorais e movimentos que tenham, essencialmente, essa dimensão na ação evangelizadora. Você pode gerar conteúdos com o Conselho Missionário, tanto a nível diocesano quanto paroquial; com a Infância e Adolescência Missionária, dentre outros.

Você pode contar histórias, produzir textos, entrevistar pessoas que já participaram de missões da Igreja nos seus diversos âmbitos, como as Igrejas-Irmãs, Missão Além-Fronteiras, Santas Missões Populares, Missão Jovem da CNBB entre outras.

Além disso, é importante recordar momentos importantes do Mês Missionário, como o dia de Santa Teresinha (1º de outubro), a Solenidade de Nossa Senhora Aparecida, a coleta missionária e também a mensagem do Papa Francisco para a data: 22 de outubro.

Confira todo o material preparado para este ano!

 

4 – Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e da Pascom

A devoção a Nossa Senhora Aparecida é inseparável da vida de fé do povo brasileiro. Sua história está ligada à descoberta de uma pequena imagem de Nossa Senhora por pescadores no rio Paraíba do Sul, em 1717, na região que hoje é conhecida como Aparecida, no estado de São Paulo. Já no momento do encontro da imagem podemos encontrar uma comunicação da graça de Deus àqueles pescadores e, consequentemente, a toda a vila que se reuniu para rezar naquela primeira Capela dos Coqueiros.

Para os pasconeiros, 12 de outubro reveste-se de uma dupla alegria. Além de ser a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida é também a padroeira da Pascom, desde o primeiro encontro nacional, realizado no ano de 2008. Foi no Santuário Nacional, aos pés da imagem encontrada pelos pescadores, que os comunicadores brasileiros e a Pascom foram consagrados à Virgem Aparecida.

Papa Francisco chega à Basílica de Aparecida, em 2013 (Créditos: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Na primeira viagem apostólica após a sua eleição, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, em 2013, o Papa Francisco teve a oportunidade de visitar o Santuário Nacional e presidir a Eucaristia. Durante a homilia, ele destacou três posturas que são bons conselhos aos comunicadores: conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria.

“A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: “Mostrai-nos Jesus”. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria.”

 

5 – Tempo da Criação

Como foi recordado na agenda do mês passado, o Tempo da Criação é celebrado anualmente entre os dias 1º de setembro a 4 de outubro, especialmente, por ocasião da memória litúrgica de São Francisco de Assis, patrono da ecologia. Durante este período, todas as pessoas do mundo, em especial, nós cristãos católicos, somos convocados a orar e propor cuidados em relação a Criação. Sendo assim, neste oitavo aniversário da Laudato Si’ o Papa Francisco lançará uma segunda etapa da Carta Encíclica, no dia 04 de outubro.

Neste aspecto todo o povo de Deus espera com ânsia por estas reflexões, já que nas últimas semanas dezenas de tragédias relacionadas às mudanças do clima foram experienciadas pelo mundo, e em especial, é necessário rezar pelas inúmeras vítimas do ciclone que assolou parte do Rio Grande do Sul.

Uma sugestão para a celebração deste dia 4 de outubro, é assistir em grupo o filme “A Carta” que trata sobre as mudanças climáticas  está disponível online para acesso.

 

6 – Dia do Professor (A educação que transforma vidas)

No dia 15 de outubro, celebramos no Brasil o Dia do Professor, uma profissão que apesar de ser vista como essencial por muitos setores da sociedade, está longe de ser valorizada socialmente por muitas pessoas. Ser professor na visão de muitos, é uma vocação, uma missão daquele que irá formar pessoas para o futuro.

Ao mesmo tempo, quando falamos dessas personalidades, estamos falando sobre a educação, que é o principal motor de qualquer sociedade, ainda mais, por uma pátria que quer ser protagonista e crescer cada vez mais em ciência e tecnologia. Para que isso aconteça, no entanto, a educação e os professores precisam ser remunerados de forma justa, de acordo com a sua importância, além de serem respeitados. Cabe aos cristãos engajados na sociedade assumirem esse papel, seja na valorização da Pastoral da Educação, seja cobrando as autoridades públicas.

Sendo assim, para este mês de outubro, que ações envolvendo a Pastoral da Educação seja articulada em conjunto com a Pascom, para propor reflexões importantes sobre esta carreira que tem se desvalorizado cada vez mais. A sugestão é uma live ou ainda uma roda de conversa, chamando atenção para os problemas que este setor está passando e ao mesmo tempo, valorizar a missão e a vocação de educar.

Outra ação possível é o convite para os professores participarem da Missa nos dias 14 e 15 de outubro, onde a equipe da Pascom pode preparar um marca-páginas com alguma frase do Papa Francisco sobre a educação, ou de Santa Teresa D’Ávila, padroeira dos educadores. Ao final da celebração, convidar os docentes para receber a bênção.

 

7 – Outubro Rosa

O Outubro Rosa é a campanha anual que busca a conscientização das mulheres sobre importância do autoexame e dos exames médicos de rotina na prevenção do câncer de mama e, agora também, do câncer de colo de útero.

É o momento de envolver todas as pastorais e organizar ações que reforcem o Outubro Rosa Paroquial, como:

  • Palestras informativas com profissionais da saúde;
  • Parcerias com os centros de saúde locais para a distribuição de material sobre o assunto;
  • Ações nas redes sociais com campanhas específicas;
  • Momento de Espiritualidade da Mulher, com meditações e compartilhamento de experiências;
  • Criação de um painel na igreja, com depoimentos e fotos de histórias de superação e de fé perante o câncer;
  • Momento com as crianças da catequese, com apresentação teatral sobre o Outubro Rosa.

 

8 – A importância da Pastoral da Pessoa Idosa

Em 1º outubro é comemorado o Dia Nacional o Idoso. Momento importante que tem como objetivo conscientizar e sensibilizar a sociedade sobre as necessidades das pessoas idosas.

Em nossas realidades pastorais, nas comunidades e nas paróquias, as pessoas idosas possuem papéis importantes no contexto histórico, pois na maioria das igrejas, foi esse público que fundou e iniciou as histórias comunitárias, lançando as pedras fundamentais e iniciando o sonho de evangelização local.

Em outubro é o momento de comemorar, louvar e agradecer a presença dessas pessoas queridas em nossas igrejas e a Pascom pode ajudar na elaboração e na execução de ações que reforcem os laços sinodais com as pessoas idosas, através das pastorais e movimentos específicos como, por exemplo, a Pastoral da Pessoa Idosa, Pastoral Familiar, Vicentinos, Círculos Bíblicos, Grupos de Terço entre outros.

É o momento também de valorizar a convivência com as pessoas idosas. Realize momentos que criem pontes com esse público, respeitando seus limites e necessidades, integrando todos no contexto pastoral como:

  • Realizar gincanas de convivência, com as juventudes e as pessoas idosas;
  • Organizar passeios em pontos turísticos das cidades;
  • Compartilhar momentos com reuniões de grupos, para troca de experiência;
  • Buscar a ajuda de paroquianos que possam doar o tempo de suas profissões e trabalhos a favor das pessoas idosas, como professores de educação física, fisioterapeutas, artistas plásticos entre outros, na elaboração de workshops;
  • Confeccionar cartões impressos com orações e com as histórias das paróquias e distribuir nos finais das celebrações e missas;
  • Realizar com a Pastoral da Saúde, um levantamento sobre as famílias cadastradas que possuem idosos na casa e fazer visitas de espiritualidade.

 

9 –  Semana Nacional da Vida – “Adoção: amor com laços do coração”

É comum encontrarmos pessoas dizendo que a adoção é um verdadeiro ato de amor. E é! Porém, é necessário ressignificar diversos sentimentos profundos que permeiam esse ato como, por exemplo, a empatia, o respeito, o discernimento, entre tantos outros.

A decisão para se chegar à adoção é um longo processo que não depende apenas de dizer “sim” e ir ao encontro do abraço tão esperado. Trata-se de um ato de resistência, pois ao aceitar essa nova vida que entra em seu lar as famílias também combatem a desinformação sobre os processos da adoção, combatem o preconceito que contribui para que muitas crianças e adolescentes permaneçam isoladas em instituições de acolhimento no país, combatem o preconceito dentro da própria família que está adotando, e vão surgindo muitas outras dificuldades.

A sociedade como um todo precisa colaborar para que mais pessoas se abram à adoção e nesse processo está, também, a Igreja. O Dia do Nascituro é celebrado em 8 de outubro e entre os dias 01 e 07 desse mês a Igreja Católica no Brasil, por meio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), celebra a Semana Nacional da Vida e do Nascituro.

Neste ano o tema é “Adoção: amor com laços do coração”, tema escolhido para conscientizar as famílias e as comunidades da importância da adoção na vida das famílias e na vida missionária da Igreja.

A Pastoral Familiar em âmbito nacional produziu materiais de divulgação sobre a Semana da Família, propondo uma reflexão como forma de proteger e mostrar o quanto é importante que crianças e adolescentes encontrem um lar.

Os temas propostos para serem trabalhados durante a Semana Nacional da Vida são:

1º Encontro – Adoção: um projeto de Deus!
2º Encontro – Adoção: alargar os vínculos da carne e do sangue
3º Encontro – O amor que adota é dom de Si
4º Encontro – Adoção é uma forma de caridade
5º Encontro – Adoção, gesto concreto em favor da vida
6º Encontro – Adoção, a fecundidade do amor
7º Encontro – A adoção enriquece a família
8º Encontro – Direito de nascer e ser acolhido em uma família

A Igreja Católica no Brasil acompanha de perto essa realidade por meio de seus grupos sociais e atividades nas comunidades paroquiais. Há, ainda, as atividades da Pastoral do Menor, que possui atuação direta com crianças e adolescentes em situação de risco, abandonados por suas famílias biológicas e/ou famílias que adotaram e que, infelizmente, devolveram a criança/adolescente para o lar adotivo.

E como a Pascom pode colaborar diante de uma desafiadora realidade como esta? A Pastoral da Comunicação é uma das pastorais, dentre tantas outras, que possui um grande compromisso social com a Igreja. Uma Pascom atuante é aquela que, para além das informações, notícias, eventos, vídeos e fotos, utiliza as redes de comunicação da comunidade para falar sobre o bem comum, sobre os assuntos que tocam as feridas da sociedade.

Basta a Pascom observar ao seu redor para encontrar meios que poderão auxiliar nesta grande reflexão sobre a adoção. Uma dica é criar conteúdos para os temas do subsídio da Pastoral Familiar, além de criar artes e cartazes com o tema de cada encontro e apostar na legenda das publicações para garantir uma reflexão sobre o assunto. Isso pode se tornar, por fim, um conteúdo formativo e colaborativo.

Outra dica para a Pastoral da Comunicação é publicar testemunhos de famílias que passaram pelo processo de adoção. Um exemplo que podemos dar é o da Luciana Rocha, que foi pasconeira na Arquidiocese de Belo Horizonte. Para ela a adoção tem um significado imenso, é um ato de amor incondicional.

Foto: Simone Souza

A adoção representa a minha vida. A partir do momento em que eu decidi adotar, a partir do momento em que minha filha chegou a minha vida mudou completamente, e eu sou muito feliz com a adoção, com a escolha que eu fiz. Os laços do coração, como diz o tema da Semana Nacional da Vida neste ano, já se concretizam muito antes, desde quando estamos naquela espera, perdura em toda a criação de nossos filhos. A construção do laço existe e vai ser para sempre. Eu posso afirmar que a adoção representa tudo para mim, representa a minha vida, afirmou Luciana, mãe da Beatriz.

Inúmeras fundações e instituições espalhadas pelo Brasil trabalham como casas de apoio e de acolhida às crianças, desde bebês até adolescentes, todos em busca de um lar. Se você quer saber quais os primeiros passos para este processo de adoção, procure a Vara de Infância e Juventude de seu município, lá você terá todas as informações acerca dos documentos necessários.

Após os primeiros contatos a instância municipal iniciará a dinâmica que envolve as casas de apoio, para que tudo seja realizado com seriedade, diálogo, respeito, compreensão e muito, mas muito amor. Afinal, no mundo existem muitos pais e muitas mães lutando para ter filhos, mas certamente existem muito mais filhos em busca de uma mãe e de um pai.

 

11 – Calendário de efemérides, com as datas cívicas e litúrgicas

 

Boa Missão, Pasconeiros e Pasconeiras!