Filme sobre São Maximiliano Kolbe estreia em todo Brasil

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O filme Duas Coroas estreou na última quinta-feira (28) nos cinemas do Brasil e deve permanecer em cartaz até 4 de dezembro, podendo este prazo ser estendido, a depender da frequência de público às salas de exibição. O filme documentário trata a vida e obra de Maximiliano Maria Kolbe, santo polonês, fundador do movimento Milícia da Imaculada e que morreu no campo de concentração de Auschwitz.

A mídia já tem opinião sobre o filme e a retórica é boa. O Jornal Folha de São Paulo afirma que “ Em poucas palavras, ‘Duas Coroas’ interessa seja pelo personagem, que, ao dar sua vida em troca da de outro detento em Auschiwtz aceitou o martírio, como pelas repercussões que tem em sua fé”. Ainda no mesmo texto fazem uma ligação do Papa Francisco com padre Kolbe.

Em “O Globo”, o jornalista Sérgio Rizzo ressalta a “ação humanitária de Padre Kolbe”, num filme que optou pelo formato “hibrido”, misturando documentário, depoimentos e ficção. Já o Jornal “Tribuna de Minas” ressalta o valor da opção de Maximiliano em se oferecer para salvar alguém que pouco conhecia, sendo que “sem ter ideia do grande legado que deixaria, Kolbe dedicou sua vida à solidariedade, e anos depois de sua morte foi proclamado santo”. O Estadão, no Guia de Cinema, publicou a sinopse de “Duas Coroas” para seu público.

O portal Canção Nova foi além do filme, noticiando-o e mostrando uma entrevista interessante da visita de ex-combatentes da Polônia, numa viagem que os fizeram recordar a segunda guerra mundial, período em que aconteceu o holocausto em que padre Kolbe deu a vida.

Em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, local onde a Milícia da Imaculada, obra fundada por padre Kolbe também se faz presente, o jornal “O Estado do MS”, em meia página, abordou a produção e entrevistou Angela Morais, produtora executiva da Kolbe Arte Produções. Segundo Morais, o filme traz uma mensagem de “doação, esperança e amor”.

Duas Coroas chega ao circuito num período importante para os cristãos, o Natal, sendo este o único filme declaradamente católico em cartaz neste tempo. A produção tem se apresentado, inclusive, como um instrumento interessante de reflexão para formadores, grupos, pastorais e todos que desejem uma compreensão dos verdadeiros valores humanos e de paz.

Sobre o Autor: Marcus Tullius

Você também pode gostar:

Busca

Instagram