Share on whatsapp
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on email

Monsenhor Viganó aprofunda mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações

Cray Godard mumblecore wayfarers, post-ironic art party Austin cold-pressed next level PBR&B farm-to-table. Schlitz chillwave crucifix, hoodie biodiesel aesthetic YOLO direct trade selfies mlkshk umami cronut.

“É fecundo o encontro entre comunicação e misericórdia. As palavras de Jesus anunciam uma misericórdia que supera toda lei”, disse o Prefeito da Secretaria para a Comunicação, Mons. Dario Edoardo Viganò, durante a coletiva de imprensa, realizada por ocasião da apresentação da mensagem do Papa Francisco para o 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

“A misericórdia é o traço distintivo da Igreja que tem a responsabilidade de narrar em palavras e obras, comportamentos e formas de vida, o rosto misericordioso de Deus em Cristo. Deve mostrar a misericórdia em palavras de esperança e vida, em gestos envolventes e tocar a carne dos desfavorecidos”, disse ainda Viganò.

A Igreja é chamada a esta missão num tempo em que “a falta de amor pela escuta” produz uma linguagem desatenta. “O silêncio é um elemento indispensável para a comunicação. Quanto mais um indivíduo for capaz de estar em silêncio, maior será o valor das palavras que proferirá, sendo o silêncio fruto de uma meditação. O silêncio pode ser uma forma extraordinária de comunicação”, frisou o Prefeito da Secretaria para a Comunicação.

“Todos se lembram quando o Papa Francisco saiu pela primeira vez no balcão central da Basílica de São Pedro, que algum estudioso chama de evento transformador. Transformador porque tudo foi precedido por um grande momento de silêncio, quando o Papa pediu para rezar por ele”, disse ainda o monsenhor.

O silêncio, essencial para discernir o que é realmente importante, “é também recolhimento e meditação. No tempo atual, aumenta a saudade do silêncio”.

“Desta Geena de barulho que é a nossa vida cotidiana e deste vento de fofocas e mexericos, nasce espontaneamente a saudade do silêncio, o desejo de fazer calar as palavras instrumentalizadas e descobrir as palavras do silêncio”, concluiu Viganò. (MJ)

Fonte:

http://br.radiovaticana.va/news/2016/01/22/mons_vigan%C3%B2_o_sil%C3%AAncio_%C3%A9_indispens%C3%A1vel_para_a_comunica%C3%A7%C3%A3o/1203082