Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

João Pessoa acolhe o 13º Muticom, que segue até o dia 16, com conferências sobre a “Comunicação para a Cultura do Encontro”

São 400 participantes de forma presencial e 70 conectados remotamente. São 12 assessores e conferencistas e mais 118 membros das equipes de serviço.

O Centro de Convenções de João Pessoa, acolhe o 13º Mutirão Brasileiro de Comunicação. Muticom é promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela arquidiocese da Paraíba, com o apoio da Pastoral da Comunicação (Pascom Brasil). O evento, com o tema: “Comunicar para a cultura do encontro”, iniciou na tarde de quinta-feira, 13 de julho, e segue até o domingo, 16, com conferências e debates. 

São 400 participantes de forma presencial e 70 conectados remotamente. São 12 assessores e conferencistas e mais 118 membros das equipes de serviço. O Muticom 2023, ao abordar a cultura do encontro, tão falada e propagada pelo Papa Francisco, ajuda os comunicadores a perceberem que essa dimensão precisa ser assimilada, vivenciada e explorada na Igreja e, com atenção especial, na comunicação eclesial. 

Na quinta-feira, 13 de julho, a solenidade de abertura contou com a presença de autoridades civis e acadêmicas, além do arcebispo da Paraíba, dom Manoel Delsone do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação e bispo diocesano de Campo Limpo (SP), dom Valdir José de Castro, além do coordenador da Pascom Brasil, Marcus Tullius. 

Dom Manoel Delson, arcebispo da Paraíba

O arcebispo da Paraíba, dom Manoel Delson, foi o responsável pela fala de abertura e por dar as boas-vindas a todos os participantes. Na ocasião, o arcebispo salientou que era uma alegria para a arquidiocese da Paraíba sediar o 13º Muticom.

“Uma característica do Pessoense e do Paraibano é saber acolher. A cultura do acolhimento é natural aqui, talvez porque a Paraíba e João Pessoa são especiais, estando na Costa Atlântica do Brasil, sendo a parte mais oriental do país, onde o sol nasce primeiro. Antes das 5h da manhã os primeiros raios de sol chegam ao Brasil por João Pessoa. O sol que nos banha também nos ensina a aquecer e acolher as pessoas com alegria”, disse.

Dom Manoel salientou que a cidade tinha uma combinação fantástica: sol, mar, brisa e fé. E que tudo isso fazia de seu ambiente natural e de geografia do acolhimento:

Desejamos que esse 13º Muticom traga para a Igreja do Brasil uma comunicação que proprocione o fortalecimento da vida através de uma evangelização que leve alegria e esperança. Estamos enquanto Igreja sempre aprendendo a comunicar, temos o conteúdo mais importante e precisamos fazer com que todos possam acolhê-lo – Jesus Cristo. Os desafios são grandes para a comunicação da verdade e do amor, mas é essa nossa missão – comunicar para o encontro.

Dom Valdir José de Castro, presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB

O bispo de Campo Limpo (SP) e presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB, dom Valdir José de Castro, ponderou a necessidade do diálogo entre fé e comunicação.

“Num mundo cada vez mais dominado pelas tecnologias, é importante torná-las a serviço das pessoas. Devemos valorizar a escuta, a inclusão e a paz”, frisou.

Após a oração inicial aconteceu a palestra magna, com o tema: “Comunicar para a cultura do encontro”, com a presença virtual do biógrafo do Papa Francisco, Austen Ivereigh. Ele ressaltou o perfil reformador de Francisco, bem como os desafios da sinodalidade proposto pelo líder da Igreja Católica.

 

Segundo dia

O segundo dia do evento iniciou com a celebração da Eucaristia, presidida por dom Manoel Delson, seguida de celebração penitencial. A primeira conferência da sexta-feira, 14 de julho, teve a temática: “Rumo à Presença Plena: a cultura do encontro no ambiente virtual”, com a assessoria de dom Valdir José de Castro.

“Qual é o nosso estilo de nos apresentarmos nas redes sociais? Nós, cristãos, somos chamados a ter o nosso estilo próprio de agir também nas redes, inspirado em Jesus e nos valores do Evangelho, valores que nos levam à cultura do encontro”, salientou o bispo.

Logo depois, um painel refletiu os resultados de uma pesquisa que retrata os influenciadores digitais, a partir de seus desafios e perspectivas. Os pesquisadores Fernanda Medeiros, Aline Amaro da Silva, Alzirinha Rocha de Souza e Vinicius Borges fizeram o paralelo entre a realidade dos profissionais que atuam nas redes sociais e os influenciadores da fé.  

A tarde da sexta-feira segue com o debate realizado em seminários. Entre os assuntos abordados de forma segmentada estão: comunicação e mobilização social, cultura do encontro e povos originários, literacia midiática e cidadania, catequese digital, algor ética e inteligência artificial. A edição atualizada do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil, lançada em maio de 2023, também ganha espaço nestas oficinas.

 

Último dia

O sábado, 15 de julho, terá outras duas conferências: “amizade social na era da informação” e “ecologia integral e cultura do bem viver” serão explanadas no palco principal do 13º Muticom. A tarde do sábado segue com o debate segmentado pelos seminários com as mesmas temáticas da sexta-feira.  

No final da tarde do sábado, no Centro de Convenções, será celebrada a Missa de Encerramento. Durante a celebração da Eucaristia acontece o anúncio da cidade-sede do 14º Muticom, que acontecerá em 2025. A manhã de domingo, dia 16, será dedicada ao conhecimento da cultura e dos pontos turísticos da capital paraibana. 

Saiba mais em: https://muticom.com.br/