Nota de pesar pelo falecimento de Irmã Maria Alba Vega

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Congregação das Irmãs Paulinas comunicou na tarde desta quarta-feira, 12, o falecimento da Irmã Maria Alba Vega, aos 77 anos. A religiosa paulina esteve a serviço da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) durante 14 anos, sendo 6 como Assessora do Setor de Comunicação, hoje o que conhecemos como Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, e 8 como Assessora de Imprensa da entidade.

O bispo auxiliar de Belo Horizonte e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães lamentou a morte de Irmã Maria Alba e referiu-se à religiosa como queridíssima.

“Uma extraordinária mulher, jornalista, pastoralista, seguidora de Jesus ao modo paulino. Um delicadeza ímpar. Uma firmeza vigorosa, uma amiga confidente. Assessora de Imprensa e Comunicação da CNBB por muitos e muitos anos. Pioneira… estou triste pela partida, mas feliz porque ela está abraçada pelo Eterno Amor”, afirmou.

A Coordenação Nacional da Pascom expressou, por meio de nota, o pesar pela partida da religiosa.

NOTA DE PESAR
IRMÃ MARIA ALBA VEGA, FSP 

A Pascom Brasil se solidariza com a Congregação das Irmãs Paulinas e com todos os comunicadores pela páscoa de Irmã Maria Alba Vega, ex-assessora de comunicação da CNBB, ocorrida na tarde de 12 de maio.

A partida de Irmã Alba, na proximidade do Dia Mundial das Comunicações Sociais, sela com a própria vida aquilo que tanto testemunhou. Ao ouvir o apelo de Cristo Mestre, fez da vida comunicação e inspirou tantos agentes e profissionais da comunicação no anúncio do Evangelho.

Louvamos, agradecidos, a vida e coragem desta mulher de fé e o seu testemunho.

Coordenação Nacional da Pascom

Trajetória

Nascida na Espanha, na cidade de São Tiago de Compostela, veio com a família para o Brasil quando ainda adolescente. Entrou na Congregação das Paulinas em 1962, na comunidade de Porto Alegre (RS) e após a emissão dos votos religiosos sua missão praticamente se desenvolveu ligada à comunicação. Formada em jornalismo, atuou na Comunicação da Diocese de Pelotas (RS) de 1975 a 1977; na Arquidiocese de Belo Horizonte no Setor de Comunicação (Jornal de Opinião) de 1977 a 1985. Neste tempo esteve ligada às Organizações católicas de comunicação, como UNDA/Br, que tinha ali sua direção, e participou da fundação da OCIC/Br com a qual esteve articulada; também foi atuante na UCBC (União Cristã Brasileira de Comunicação). Mas sua grande contribuição com a Igreja foi nos anos em que esteve no Setor de Comunicação Social e na Assessoria de Imprensa da CNBB durante 13 anos, de 1985 a 1998. Voltando a Belo Horizonte dedicou-se à assessoria da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese e assessorou a Pastoral da Comunicação do Regional Sul1 da CNBB, de 2004 a 2011. Com a criação da SIGNIS Brasil, esteve ligada ao Grupo de Impressos, enquanto diretora da Revista Família Cristã, onde trabalhou por diversos anos, até que a saúde lhe permitiu com a última publicação impressa em Dezembro de 2020, quando passou a ser publicada em plataforma digital. Irmã Maria Alba vibrava pela comunicação da Igreja à qual dedicou-se, vivenciando o carisma paulino.

 

(Informações: CNBB / Irmãs Paulinas) 

Sobre o Autor: O Estagiário

Você também pode gostar:

Busca

Instagram