O nascimento de uma iniciativa

Dia Mundial das Comunicações

O n. 18 do Inter Mirifica incentiva a criação de um Dia Mundial das Comunicações para a instrução do povo, no que tange à reflexão, discussão, oração e aos deveres em relação às questões de comunicação. É sempre importante mencionar a origem e trajetória do Dia Mundial das Comunicações, celebrado no domingo da Ascensão, a fim de que se crie uma cultura sobre a profundidade de um “mandato” da Igreja, que passa despercebido, inclusive, por vários setores da instituição.

Trata-se de algo solicitado pelo Concílio Vaticano II, no Inter Mirifica, quando a Igreja, levando em consideração as profundas transformações da sociedade e os avanços na área tecnológica em todos os setores, percebeu, também, o seu “despreparo” nesse campo. Assim, ela entendeu que, a respeito da comunicação, não bastava apenas a profissionalização e competência técnica no uso dos meios, mas compreender a evolução da comunicação, nas suas mais diferentes expressões, como linguagem, cultura e, sobretudo, como elemento articulador da sociedade.

Justamente para reforçar o variado apostolado da Igreja por intermédio dos meios de comunicação social, diz o Inter Mirifica (n. 18): “celebre-se anualmente, nas dioceses do mundo inteiro, um dia dedicado a ensinar aos fiéis seus deveres no que diz respeito aos meios de comunicação, a orar pela causa e a recolher fundos para as iniciativas da Igreja nesse setor, segundo as necessidades do mundo católico”.

Portanto, com a finalidade de levar adiante a atenção nesse importante setor da comunicação, e lembrando o “mandato” do Vaticano II (n. 18), o Papa Paulo VI cria, em 1964, através do documento In Fructibus Multis, a Pontifícia Comissão para as Comunicações Sociais, com a finalidade de coordenar e estimular a realização das propostas dos padres conciliares. A fim de colocar em prática as recomendações já mencionadas, a Pontifícia Comissão, após receber o parecer de presidentes de Comissões Episcopais, em 1964 e 1965, sobre como aplicar o que foi estabelecido no n. 18 do Inter Mirifica, criou o Dia Mundial das Comunicações Sociais em 1966, com a aprovação do Sumo Pontífice. E no dia 7 de maio de 1967 celebrou-se pela primeira vez, no mundo inteiro, o Dia Mundial das Comunicações Sociais (celebrado sempre no domingo da Ascensão). Fica, então, esclarecido que o “mandato” para celebrar anualmente um dia dedicado às comunicações sociais (com seus objetivos), já mencionado anteriormente, é do Concílio Vaticano II (Inter Mirifica, n. 18), mas a criação do Dia Mundial aconteceu em 1966 e a sua primeira celebração deu-se em 1967, com o grande incentivador São Paulo VI escrevendo a mensagem  “Os meios de comunicação Social”.

A partir de então e, ininterruptamente, os Pontífices escrevem, anualmente, a mensagem para o dia Mundial das Comunicações, chegando à 53ª mensagem em 2019, abordando temáticas que revelam não somente o pensamento do Magistério da Igreja sobre a comunicação, mas a abertura da Instituição para uma evangelização que dialogue com as pessoas da sociedade contemporânea. O tema para cada ano é anunciado no final do mês de setembro e a mensagem do Papa publicada no dia 24 de janeiro, dia de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas.

 

Cantinho das sugestões, para refletir e aprofundar a temática:

CORAZZA, Helena; PUNTEL, Joana T. Os Papas da Comunicação: estudo sobre as mensagens do Dia Mundial das Comunicações.  São Paulo: Paulinas/SEPAC, 2019.

PUNTEL, Joana T. Inter Mirifica: texto e comentário. São Paulo: Paulinas, 2012.

VEGA, Maria Alba. Dia Mundial das Comunicações Sociais. São Paulo: Paulinas/SEPAC, 2005.

 

* Ao se servir do conteúdo deste artigo, gentileza citar a fonte.

Sobre o Autor: Ir. Joana Terezinha Puntel, fsp

Você também pode gostar:

Busca

Instagram