Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Pascom e a Espiritualidade do Natal

Nossa missão é sermos comunicadores da esperança!

O tempo do advento está chegando ao fim, o Senhor Jesus nascerá e junto com Ele, a esperança e o Amor.

Como uma luz que brilha na escuridão, em nossos corações, ecoamos a frase durante o tempo do Advento: “Vem, Senhor Jesus”.

A liturgia do advento nos convidou a reviver as raízes mais profundas da nossa fé, redescobrindo a promessa divina e renovando a fé que nos une.

Como o anjo anunciou a Maria, que ela seria a mãe do Salvador, nós, pasconeiros, também somos chamados a anunciar a Boa-Nova a todas as pessoas. Eis o grande aprendizado do Advento: Preparai os caminhos do Senhor!

A cada vela que foi acesa na coroa do Advento, nossos corações se encheram de esperança e de uma alegre vigilância na expectativa do nascimento do menino Jesus.

Quando olhamos ao nosso redor, podemos ver as luzes coloridas, árvores de natal e muitos enfeites, mas e o nosso coração de comunicador? Como está para o Natal do Senhor?

Façamos uma reflexão. Como guia, utilizemos cada vela da coroa do Advento, meditando sobre cada eixo principal que sustenta a nossa missão de pasconeiros:

 

A chama da Espiritualidade

A espiritualidade é o eixo mais importante da Pascom, pois é ela que nos sustenta no verdadeiro seguimento de Jesus.

No evangelho do primeiro domingo do advento, o evangelista Marcos nos convidou a sermos vigilantes: “O que vos digo, digo a todos. Vigiai!” (Mc 13,37).

Como comunicadores católicos é preciso estarmos vigilantes no que diz respeito a nossa espiritualidade, pois sem ela ou na falta dela, nos tornamos frágeis e vulneráveis diante das dificuldades que podemos encontrar em nosso caminho.

A espiritualidade do comunicador também é inspirada na Trindade Santa, que é modelo perfeito da comunicação e da comunhão no amor, pois “a boca fala do que está cheio o coração” (Mt, 12).

 

A chama da Formação

Todas as pastorais são transversais, ou seja, elas se interligam umas as outras porque representam a expressão do solícito cuidado da Igreja para a comunidade.

A transversalidade se mostra de maneira mais intensa na Pascom, pois está na nossa missão de comunicadores paroquiais.

Buscar a execução da transversalidade requer resiliência e fé, pois temos a missão de ser a Pastoral da Pastorais e nesse contexto, a formação é o eixo que pode ser o caminho para uma união efetiva, tanto na Pascom como nas outras pastorais das nossas paróquias.

 

A chama da Articulação

A articulação se propõe a animar e a envolver os agentes e animadores pastorais para que conheçam e se comprometam a realizar ações concretas e integradas com os meios de comunicação para o anúncio da Boa-Nova de Cristo.

Tornar a chama da articulação mais forte requer integração, conversa e sinodalidade. É preciso saber influenciar para o bem todos os fiéis e agentes de pastorais com todas as suas ações.

Que tenhamos os ouvidos abertos para escutar com a voz do coração e que, a partir do modelo ensinado pelo Papa Francisco nas últimas mensagens enviadas para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, possamos também falar com a voz que vem de Deus e do nosso coração.

 

A chama da Produção

A comunicação do Natal do Senhor tem como sua principal característica levar mensagens de esperança.

Dentro desse contexto, procure apresentar essa virtude por meio de publicações em todas as redes online e offline, com conteúdos que transmitam a mensagem do Natal.

Uma proposta simples e que pode ser eficaz é propor um itinerário espiritual direcionado para o tempo oportuno, como a meditação de um texto bíblico ou fazer um gesto concreto.

E por fim, motivar as pessoas a viverem bem o tempo do Natal! Divulgar, em todos os meios, que Jesus nasceu e com Ele a nossa esperança se acende novamente!

Que neste tempo do Natal, possamos manter acesas as chamas da Espiritualidade, da Formação, da Articulação e da Produção, pois, se uma delas se apagar, nossa missão perde o sentido.

Que nós, pasconeiros, sejamos mensageiros da esperança!

 

Juliana Fontanari é jornalista e agente da Pascom Brasil do GT Produção