Por onde começar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O que uma equipe da Pastoral da Comunicação faz? Pascom é só para fotografar os eventos da paróquia e, depois, publicar nas redes sociais? Quantas pessoas são necessárias para compor a equipe? Os agentes precisam ser profissionais da área de comunicação? Estas são perguntas frequentes de quem vai organizar uma equipe da Pastoral da Comunicação.

Mas, e, então, por onde começar?

O primeiro passo é convidar pessoas dispostas a evangelizar através da comunicação, sejam elas estudantes, profissionais da área ou não. Basta ter compromisso de aprender e se dedicar a utilizar bem as ferramentas de comunicação, em favor das ações da Igreja. Quanto ao número de pessoas para compor a equipe, não há um limite mínimo e nem máximo. O importante é ter número de pessoas comprometidas para executarem as ações planejadas pela equipe. Na hora de convidar as pessoas para se engajar na Pastoral, prefira fazer seguir o exemplo de Jesus Cristo, quando foi formar a equipe dos doze apóstolos. Ele saiu a convidar, pessoalmente, um a um, chamando-os pelo nome.

Pessoas convidadas e convite aceito, chega o momento de ter um momento de formação para a equipe e, depois, elaborar um plano de ação, de acordo com as maiores necessidades da paróquia, no campo da comunicação. O plano deve seguir as orientações do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil (Doc 99, da CNBB). O capítulo dez desse documento destaca que a Pascom deve ser sustentada por quatro eixos: formação, articulação, produção e espiritualidade. “A Pascom, sustentada por esses eixos, deve incentivar a reflexão e estimular ações com sentido comunicativo, que conduzam à comunhão e à ação evangelizadora” (Doc. 99, da CNBB, nº 249)

Antes de traçar o plano, é preciso saber que atividades são próprias de uma equipe de Pastoral da Comunicação. E são tantas! Aqui, exemplificamos só algumas delas: produzir/apresentar o programa da Igreja no rádio, fotografar os principais eventos e celebrações, atualizar as redes sociais, blog e/ou site da paróquia, cuidar do mural, produzir o jornal impresso ou revista, enviar notícias relevantes para os meios de comunicação da Diocese, bem como para os meios seculares da região, organizar um arquivo (fotos e vídeos) das principais ações da paróquia, produzir uma newsletter periódica e enviar para grupos e/ou listas de transmissão ou por e-mail… Não esqueçamos de que tudo precisa ser planejado e avaliado, levando em consideração as principais urgências da Paróquia.

De resto, é pedir que Jesus Cristo, o Comunicador Perfeito, guie os passos a ações da equipe. Bom trabalho!

 

* Ao se servir do conteúdo deste artigo, gentileza citar a fonte. 

Sobre o Autor: Cacilda Medeiros

Você também pode gostar:

Busca

Instagram